(11) 5051-1924/ 0784 /(11) 5096-3384/5041-2434 / (11) 97515-3243 (vivo) Unidade Moema: contato@vetsupport.com.br | Unidade Zona Leste: contato2@vestsupport.com.br

Recebemos do Edson, tutor do Totó (que agora se chama Paçoca) um lindo relato sobre a história desta amável paciente que encantou a todos nós:

“No dia 18/03, estava voltando de um evento na noite de sexta feira em uma estrada que liga Cotia à Embú das Artes. Eram quase 2 da manha, quando avistei alguma coisa se mexendo no meio da estrada.  Parei para verificar, pois nela sempre tem algum animal atropelado. Vi que era um cachorrinho de pequeno porte, ainda estava respirando e tremendo de frio.

Já resgatei alguns cachorros de rua, mas nunca um atropelado.

Não pensei 2 vezes, peguei com cuidado e coloquei-o no banco traseiro do carro. Logo ele se aconchegou com dificuldade e dormiu até que eu chegasse em minha casa em Itapecerica da Serra.

Chegando em casa, o  envolvi em um tecido para que os outros cachorros não o mordesse. Coloquei em meu escritório e dei um pouco de agua. bebeu muito pouco e vi que ele estava incomodado com alguma coisa. Ofereci um pedaço de frango, mas também não comeu. Percebi que tinha muitos carrapatos, e algumas mordidas na pata traseira. resumindo, um cachorro maltratado pela vida na rua.

Pensei em leva-lo no Hospital Veterinário quando amanhecesse, então resolvi acomoda-lo e fui dormir.

Mas, nem bem me deitei, ele começou a chorar de dor e vomitar.

Então, resolvi leva-lo ao Hospital Pirajussara, que atende 24hs.

Cheguei por volta das 3:30 da manha e quem me atendeu foi a Dra. Denise.

Nesse momento, já desconfiavam de fratura na Bacia, e já entraram com Tramal e soro, mas não tinha o Raio X para realizar os exames. Notaram também que saia sangue pela urina, e acharam que poderia ser mais grave do que imaginaram. Então tive que esperar até as 9 da manha para leva-lo a a “Kether Laboratório” para realizar os exames.

Durante todo o tempo que fiquei no Hospital com ele, esperando pelo horario de abertura da Kether Laboratórios, comecei a me apegar a esse cachorrinho, pois ele me olhava com tanto carinho sem reclamar das picadas de agulhas.

Chegando na Kether, tive que esperar por encaixe no horário, pois não tinha marcado hora, mas reconheceram que era urgência e fui bem atendido.

Apos uma bateria de exames, a Dra. Sabrina, responsável pelos exames de imagens, disse que era muito grave, pois tinha rompido a Uretra e estava com bastante liquido no abdômen.

Então , a Dra. Sabrina, me indicou o Dr. Franz Yoshitoshi, que é especialista nesse tipo de problema, mas avisou que não seria barato.

Nesse momento, baixou um desespero, pois ele estava olhando pra mim como dizendo “você consegue fazer alguma coisa por mim?”

Tinha 2 opções..

Ou encararia a situação ou teria que sacrifica-lo!

Mas meu coração falou mais alto, e resolvi não desistir daquela coisa peluda, magrela, cheio de carrapatos e pulgas, mas com aquele olhar tão dócil.

Então, resolvi leva-lo para a Clinica VET SUPPORT, onde o Dr. Franz me atenderia.

Chegando a clinica, fui prontamente atendido pela Dra. Daniela Moreira, que logo o levou para internação.

Fiquei esperando algum tempo pelo Dr. Franz, e quando chegou, me explicou todo o procedimento que teria que fazer.

Colocaram uma sonda pelo canal da Uretra para que toda a urina saísse, sem vazar para o abdômen, e iam esperar por 3 dias para ver como ele reagiria com os medicamentos. Caso desse certo, não o operaria.

Sabia que estava em boas mãos, então fui para casa confiante que ele se recuperaria.

Nos dias seguintes, as notícias não eram boas, pois o quadro não estava melhorando.

Então, o Dr. Franz me avisou que realmente teria que opera-lo, para ver se conseguiria corrigir o trauma na Uretra.

Apos quase 6 horas de operação, me ligaram avisando que a operação foi bem sucedida, mas teria que esperar alguns dias para ver a reação dele!

Mas, infelizmente nos dias que seguiram, não houve melhora significativa no estado dele, pois ainda estava extravasando urina para o abdômen e a Peritonite ainda persistia.

Então, o Dr. Franz resolveu opera-lo novamente para tentar corrigir o problema, isso no dia 01/04.

Foram mais 5 horas de operação, e ele resistiu a mais essa.

Me ligaram avisando que tudo correu bem, mas que teríamos que esperar alguns dias para ver sua reação.

Nesse período, ele teve alguma melhora razoável, mas nada que pudesse ter alta. No domingo (03/04) fui fazer a primeira visita. As Dras. Vanessa e Daniela, me explicaram todo o quadro e estavam confiantes. Dei um pouco de frango para ele, pois não estava mais aceitando a ração.

Percebi que ele estava bem, e fiquei bem contente com isso.

No dia 06/04, me ligaram avisando que iriam fazer um exame de contraste para ver se poderiam retirar a sonda e dar alta para ele. Mas o resultado foi decepcionante! O exame mostrou que ainda estava vazando liquido para o abdômen. Então, o Dr. Franz me ligou, explicando que manteria a sonda por mais tempo para ver se teria solução, mas teria que pensar muito sobre sacrifica-lo, pois não tinha certeza se daria certo.

Como a conta estava ficando muito alta para meu padrão, decidiram que poderia traze-lo para casa, mas teria que voltar todos os dias para fazer avaliação do estado dele.

Não quis criar uma expectativa muito otimista na recuperação dele, pois o quadro não era positivo.

Com as idas e vindas à clinica, ele melhorava cada vez mais, se alimentava bem, mas a preocupação era com a Urina, pois sem a sonda, ela voltaria a vazar.

No dia 22/04, fomos realizar um novo exame de contraste na Kether Laboratório para verificar como ele estava, e por um milagre da vida, a quantidade que vazou de urina foi mínima. Claro, um vazamento de urina nunca é bom, mas pelo estado que estava, isso significava uma grande recuperação. Não acreditei no que estava ouvindo, mas apos ver a radiografia e comparar com a anterior, realmente a uretra estava se regenerando.

Nesse mesmo dia o Dr. Franz me ligou, surpreso pelo resultado tanto quanto eu, e disse para manter a sonda por mais alguns dias, somente para garantir a total recuperação.

Mas, com a recuperação dele, cada dia mais, ele estava ficando mais sapeca, e na madrugada do dia 28/04, ele conseguiu se livrar do Colar, se livrou da Fralda, e o pior, conseguiu retirar a Sonda.

Não entrei em desespero, pois como estava vazando pouco, resolvi esperar amanhecer para ligar na Vet Support.

Então, decidiram deixa-lo sem sonda para ver como ele ficaria.

Claro que esses dias, foram de muita expectativa, mas com o passar do tempo esse cachorrinho melhorava cada vez mais.

Ainda teremos que fazer um Ultrassom para diagnosticar se há liquido no abdômen, mas pelo estado que ele se encontra, tenho certeza que não haverá!

Ele esta tendo uma vida normal, se alimentando, bem hidratado, produzindo bastante urina (claro que não consegue segurar por muito tempo e acaba pingando um pouco, mas isso é o que menos importa agora), com fezes normais, correndo, latindo e pedindo muito carinho!

Quero agradecer imensamente a todas as pessoas da VET SUPPORT, Katia, Camila, Paloma, Juliana, Celso, Dras. Daniella, Vanessa, Veronica, Thais, Talissa, Sandra, Andressa, a Diretora Dra. Andreza, e um agradecimento especial ao Dr. Franz, que conseguiu salvar esse animalzinho. Sei que tem mais pessoas na Clinica que ainda não tive o prazer de conhecer, mas eles sabem que foram muito importantes para a recuperação do Totó (nome que dei quando o internei, mas o nome definitivo agora é Paçoca).

Valeu cada centavo que foi gasto, cada noite de sono mal dormida, cada gesto de amor e carinho  que ele recebeu desde o primeiro momento que o resgatei até hoje.

Não conseguia acreditar em milagres até esse dia, mas depois de tudo isso, sei que milagres acontecem quando envolve muita dedicação, amor, compaixão e carinho.

Parabéns Vet Support por tudo que fizeram!” (Edson Freitas Hasegawa)